Férias: conheça os cuidados para o alérgico alimentar

Dra. Danila Blanco

É pesquisadora, farmacêutica e bioquímica. Mestre em microbiologia, doutora em biociências e biotecnologia pela UNESP. Site: bemvindoalergico.com.br

A tão esperada férias em família chegou! Ansiedade e animação fazem parte, mas para quem tem alérgico alimentar em casa, esse período pode ser difícil e estressante.

Muitas mães me perguntam como eu consigo viajar tanto com o Dante. A resposta é simples: com muita preocupação.

Confesso que, na grande maioria das nossas viagens, levamos uma verdadeira mudança culinária: desde utensílios de cozinha até alimentos prontos. Mas, o mais  importante é que todos os passeios e hospedagens sejam estudados com antecedência. E, claro, que nos permitam servir uma alimentação segura para os nossos pequenos.

Então, férias em família e alergia alimentar podem dar certo? Claro que sim! Veja as minhas dicas para vocês terem o sonhado – e justo – descanso merecido:

No carro

Sabia que o meu carro tem nome? O Dante o chama de Sal e diz que ele é o nosso cavalo (rsrs). Muitas vezes, diz também que é uma casa que anda – e isso tem todo o sentido se vocês soubessem o que levamos quando viajamos. Para resumir: A CASA TODA.

Sim! Levo uma térmica com água, sucos e frutas; outra com alimentação pronta para consumo na viagem; e a terceira com os congelados que serão usados em todo o período ou até à primeira compra no mercado. Tem ainda a sacola de biscoitos e petiscos permitidos.

Se o seu meio de transporte nas próximas férias for outro, como avião, ônibus ou trem, leve pelo menos uma sacola ou bolsa com os alimentos da criança. Isso é fundamental!

Nós buscamos levar tudo, pois já passamos por muitas situações em que as pessoas falavam que tinham controle do produto e, mesmo assim, o Dante reagia. Então, se eu desconfio, já tenho o alimento seguro para o meu filho.

Na hospedagem

Pesquise muito para encontrar um lugar confiável para o bem estar do alérgico. Em seguida, entre em contato com o estabelecimento (hotel, pousada ou proprietário da casa) e faça perguntas detalhadas até se sentirem seguros. Veja uma dica de roteiro:

  • Esclareça todos os detalhes da alergia do hóspede;
  • Certifique-se de que a cozinha está capacitada em atender hóspedes com alergia alimentar e apta para preparar refeições para esse público;
  • Peça permissão para conhecer a cozinha;
  • Veja quais são as opções no cardápio para o alérgico alimentar;
  • Verifique se os estabelecimentos da região, como supermercados, restaurantes e padarias, são capacitados no atendimento ao alérgico;
  • Se possível, busque hospedagem perto de hospitais ou prontos socorros para garantir um pouco mais de segurança durante a viagem;
  • Nos passeios, descubra se pode levar o lanche.

Praia

Se as férias forem na praia, é fundamental levar a refeição da criança. Não compre nada preparado nos quiosques, pois é muito difícil evitar traços de alérgeno.  Procure por alguns alimentos que podem ser consumidos, como picolés de fruta.

Viagens internacionais

É essencial ter em mãos uma declaração médica para possíveis emergências e uma lista com os alimentos que a criança deve evitar. Tudo isso traduzido no idioma do país que vocês visitarão.

Nas empresas aéreas, se optar pela refeição a bordo pesquise o fornecedor. De preferência, fale direto com a empresa, para evitar surpresas. Ou peça autorização pala levar a refeição segura do alérgico.

Dicas extras

  • Leve um kit de primeiros socorros com os medicamentos do alérgico;
  • Não esqueça de levar os documentos pessoais e do plano de saúde;
  • Confira se o hospital mais próximo da hospedagem tem cobertura do seu plano de saúde. Anote o endereço e junte aos demais documentos.
  • Desconfie de estabelecimentos que resolvem qualquer coisa sem capacitação. Muitos estabelecimentos dizem fazer pratos sem alergênicos mas não tem controle de traço.
  • Cuidado: Pizzarias que fazem ao mesmo tempo pizza com farinha de trigo e pizza sem glúten tem grandes chances de ter contaminação cruzada de glúten.

Caso Hom

É fundamental tomar todas as precauções na viagem de férias. Infelizmente, há muitos casos graves e até morte por causa de reações causadas pela alergia alimentar.

Uma dessas histórias é de Brian Hom e sua família, que foram comemorar os 18 anos do filho em um resort, no México. Assim que chegaram, a família foi direto jantar. Logo depois, o garoto reclamou de dor de garganta. Hom saiu e foi para a farmácia.

Ao retornar, depois de ser avisado que o filho estava passando mal, o pai o  encontrou tendo uma reação anafilática. O garoto faleceu na mesma noite. Ele era alérgico a amendoim e comeu uma sobremesa com um ingrediente que continha o alimento.

Conclusão

A história é realmente muito triste, mas o intuito de contá-la aqui é também reforçar a extrema importância de cuidar de todos os detalhes da viagem.  Mas, mesmo com esses riscos, é possível sim combinar férias em família e alergia alimentar! É só seguir essas dicas e pé na estrada. Boas férias!

Publicado originalmente http://bemvindoalergico.com.br

 

 

DOWNLOAD: Check List para Viagem

Esta lista de verificação foi elaborada para ajudá-lo a fazer planos de viagem. Os itens da lista de verificação podem Leia mais

Como carregar a medicação das alergias alimentares?

Bianca Kirschner Enquanto era pequeno, colocava a medicação do Lucas dentro da bolsa de nenê. Já carregava tantas outras coisas, Leia mais

Inclusão nas viagens aéreas

Por Bianca Kirschner Muitos me questionam sobre a alimentação durante nossas viagens de aviões! E compartilho que infelizmente, com as Leia mais

Voar nas férias com alergia alimentar. É possível!

Erika @mundovalentedebento Chegou o momento de viajar em Família e o medo frio na barriga, claro, querendo nos amedrontar! Mas Leia mais