Atenção com as fake news de “cura” para alérgicos alimentares

Por Bianca Kirschner

De tempos em tempos, somos surpreendidos com notícias de novos tratamentos.

Para nós, cada novidade em tratamento sempre nos enche de esperanças.

Somos pais de alérgicos! Buscamos uma vida com maior inclusão, com menos planejamento e com respostas para nossas inúmeras perguntas: por que meu filho? Será que a alergia vai ser para a vida toda?

Já existem levantamentos em diferentes partes do mundo sobre o aumento do número de pessoas alérgicas e também o aumento da prevalência das alergias alimentares. Apesar desses novos dados não parecerem positivos, eles trazem em seu bojo novos estudos e pesquisas.

Existem estudos/terapias sendo feitas, mas tudo muito ainda é experimental. Além disso, a segurança das mesmas, a longo prazo, ainda não é conhecida. Temos que buscar tratamentos certificados por alergistas e imunologistas, pois participar de algum estudo pode envolver altos riscos.

O que todos nós sabemos, ou deveríamos saber, é que ainda não há cura para a alergia alimentar e que a melhor maneira de prevenir uma reação alérgica é evitar o alérgeno.

Também vale ressaltar que a caneta de adrenalina é o único remédio capaz de conter uma reação alérgica grave, que é chamada de anafilaxia, e que não existe uma caneta de adrenalina brasileira.

Muito relevante o Vídeo do Presidente da Asbai do Espírito Santo, sobre fake News.

Na área da SAÚDE, a notícia falsa é ainda mais perigosa. 

#FakeNews #CuidadoSaúde #Alergia #Imunologia #ASBAI #InformaçãoCerta #InformaçãodeQualidade

https://www.facebook.com/asbai.alergia/videos/399613897400390/

Acesse também informações sobre acesso a saúde pública, por meio do SUS:

Dra. Glauce Hiromi Yonamine fala sobre alergias alimentares e saúde pública