Sete Dicas para manter a saúde mental nas redes sociais

Por Marcelo Henrique – Mestre em Ciência Jurídica,  Especialista em Administração e Auditoria, Bacharel em Direito, Professor Universitário. Auditor Fiscal do Tribunal de Contas de Santa Catarina. Jornalista, produtor e curador de conteúdo para publicações, projetos e empresas.

1. Desista da tentação de mudar a opinião do seu amigo com posições extremas. Estão todos apreensivos, e alguns, para se manter seguros, se apegam a defesa de ideias sem sentido.

2. Não dissemine FakeNews. Confira a fonte e a data das suas postagens, para não colaborar com a confusão geral. Postou e viu que era fake, deleta. Cada indivíduo tem uma grande responsabilidade pessoal na divulgação de informações duvidosas, que atrapalham as ações preventivas na pandemia.

3. Mantenha-se bem informado. Use fontes diferentes para obter informações. Debata sobre o assunto “da moda”, mas não torne isso a sua tarefa central, o seu “objetivo de vida”. Passar por esse período irá nos exigir disciplina e a manutenção de um conjunto de atividades que beiram a normalidade, para que não se respire Covid-19 durante as 24 horas do dia.

4. Evite ostentar, em vídeos e fotos, durante a quarentena. Policie-se para evitar exibir comidas gostosas, coisas bonitas da sua casa, etc. Lembre-se de que para muitos esse período também se traduz em dificuldades financeiras e de acentuação das frustrações.

5. Ajude quem precisa. Busque mapear, entre suas redes (sociais ou de relacionamento) aqueles que moram (ou estejam circunstancialmente) sozinhos ou os que tem dado sinal de alteração de humor. Faça contato in box, interaja e contribua para o amigo não se abater, especialmente os mais idosos.

6. Use os recursos tecnológicos disponíveis. Invista em vídeo chamadas ou lives, para interagir e tentar manter as suas interações habituais com o povo da academia, do curso, da escola, do trabalho e da atividade religiosa.

7. Rir é o melhor remédio. Compartilhe, sem que isso signifique ser alienado, coisas divertidas, belas músicas, cenas emblemáticas da TV, memes e piadas. Procure difundir alegria e esperança aos que compartilham com você o ambiente virtual.

Por fim, isto é passageiro e, logo, estaremos no convívio da normalidade. Enquanto isso, tenhamos bom ânimo e procuremos as atividades espirituais de foro íntimo (para o próprio equilíbrio) e à distância (em termos de solidariedade).

Muita paz!

Viaskin Peanut traz resultados positivos para alérgicos ao amendoim

Foto divulgação DBV Bianca Kirschner Notícias que eu adoro ler e sei que vocês também irão Leia mais

Você sabe a importância da nutricionista na alergia alimentar?, por Adriana Costa

Por Adriana Costa⠀ @drianacosta.nutri ☑️ Um paciente, após o diagnóstico de alergia alimentar, passa a ter restrições em sua alimentação. Leia mais

Outros sintomas importantes relacionados a doenças alérgicas, por Dra. Ellen Dantas

Dra. Ellen Dantas @draellendantas Com frequência, pacientes (ou os responsáveis) chegam ao consultório com determinada queixa e quando conversamos, vejo Leia mais

Clipping: Michelle Oliveira, da Perfeito Pedaço, no Jornal da Cidade, Aracaju/SE

Alergia alimentar: crianças são as maiores atingidas Até o ano de 2050 quase 50% da população mundial poderá apresentar alguma Leia mais