Daniella: As pessoas estão mais conscientes, mas o cuidado deve continuar

Fique em casa que levamos até vc, peça já o cardápio whats 11 94037-2689 ou também estou no @apptite_br, procure por Chef Dani Limão.

Nome: DANIELLA – Chef Dani Limão
Cidade: SÃO PAULO
Insta: @massanostrazero

Tenho APLV (alergia à proteína do leite de vaca) e meus primeiros sintomas apareceram aos 20 anos, mas somente aos 25 anos obtive o diagnóstico correto. Aos 35 anos, começaram os primeiros sintomas da doença celíaca. Hoje, aos 46 anos, além de APLV e celíaca, sou super sensível a nuts e leite de coco.

Só consumo minha própria comida. Levo marmita para todos os lugares, na casa das pessoas, festas, casamento, etc…

Sempre tenho comigo meus utensílios, não compartilho nem geladeira.

Em casa, não entra nenhum tipo de alimento com os alergênicos que não posso consumir (risos). As visitas são “obrigadas” a comer a minha comida.

Não carrego medicamentos.

Em relação à convivência familiar, após ser diagnosticada com APLV, achei que seria impossível, mas em casa nos adaptamos rapidamente. Não havia muita coisa/opção nos mercados, mas sempre fomos adeptos ao consumo de soja e isso me ajudou demais.

Há 26 anos, era mais complicado, as pessoas não entendiam a gravidade da alergia alimentar. Sempre tinha aquele que falava: “só um pouquinho não tem problema”. Foi percebendo isso que comecei a levar marmita para todos os lugares.

Chef Dani Limão

Hoje em dia, as pessoas parecem aceitar melhor a nossa condição de alérgico. Existem muitos lugares específicos para nós, mas mesmo assim sempre que almoço/janto fora procuro consumir apenas salada. Mesmo assim, interrogo garçons e todas as pessoas possíveis para saber como são preparadas e explico que facas, bancadas, etc., precisam ser higienizadas antes do preparo do meu prato. Se é uma padaria, por exemplo, pergunto a marca dos insumos, etc. E mesmo assim a já tive problemas/reações alérgicas após comer nesses lugares.

Como adulta, é bem tranquilo, não me sinto mais um ET. Existem muitas pessoas na mesma situação que eu. É mais comum e por isso o mercado, de modo geral, se adaptou a toda essa situação. Até por conta da “moda” de dietas alimentares que surgiu uns anos atrás (gluten free, lac free) e também o veganismo que hoje tem inúmeros de adeptos.

Celíaca, Michelle se formou em gastronomia ao adotar uma nova dieta

Michelle Ivanovo, São Paulo https://www.instagram.com/mi_ivanovo/ Sou celíaca confirmada desde 2012, ou seja, não posso consumir os alimentos que possuem glúten. Leia mais

Plano de Ação para Emergências – Faça o Download

Para colaborar com médicos e famílias, o Conexão Alimentar criou sua versão do Plano de Ações para Emergências, composto dos Leia mais

 Você sabe o que é anafilaxia?

Durante essa Semana de Conscientização das Alergias Alimentares, queremos reforçar alguns dos diversos sintomas da anafilaxia. Eu mesma, mãe de Leia mais

#EuApoioPL4155/2019 – Passe adiante esta ideia!

Que tal nesta "Semana da Conscientização das Alergias Alimentares 2020", organizada pelo Conexão Alimentar, disseminar o Projeto de Lei da  Leia mais