A conquista de cuidar de si mesmo

Bianca Kirschner

Lucas está crescendo e com esse crescimento a necessidade de liberdade dele está aumentando. Por anos, nunca deixei Lucas ir em festa de aniversário sozinho, descer até o andar térreo do prédio sem supervisão de um adulto e muito menos ir dormir na casa de algum amiguinho. Os motivos eram diversos, achávamos ele ainda muito pequeno, culturalmente onde moramos não era muito comum e também tinham alergias alimentares.

Mas temos visto Lucas buscando essa liberdade, essa possibilidade de conviver com amigos dele. Hoje devido a pandemia, muito aqui no prédio onde moramos e, aos poucos, fomos amadurecendo juntos com ele essa possibilidade. Sabemos da importância que isso também tem para o crescimento dele e foi junto com a ajuda psicológica que fomos aceitando que isso é necessário para todos nós.

Evidenciamos que não podia aceitar comida de ninguém, nem entrar no apartamento de algum novo amigo, pois temíamos algum contato acidental com algum de seus alérgenos. Tentamos administrar essas saídas com ele levando um celular, depois com um relógio, mas não funcionou muito bem, pois ele quer é correr, brincar de policia e ladrão, queimada. A ideia era ele ter uma maneira de se comunicar com a gente em alguma emergência. Mas também fomos percebendo que ele acaba vindo várias vezes nos ver em casa, vem pegar uma bola, uma água e com isso conseguimos ir checando as atividades dele.

Claro que ele antes ia para a escola sozinho e lá ficava sem a gente saber sobre todos os passos dele, mas era um ambiente com mais supervisão do que brincar no prédio com os amigos. Hoje, Lucas aguarda esse momento pós aula para ir encontrar um dos seus melhores amigos, nosso vizinho, que sabe das alergias severas do Lucas e cuida de tudo atentamente.

Eu vivi assim, na rua, brincando de sapata, esconde esconde e poder proporcionar essa possibilidade social pro Lucas me deixa muito feliz. Muitas vezes até esqueço das alergias dele, pois mesmo longe, sei que ele ainda está perto e com isso acredito estar treinando para o momento que ele realmente estará longe e sem a supervisão de um adulto, pois ele será o adulto cuidando de si mesmo.

A tribo da empatia

Felipe, que não possui alergias alimentares, almoçando com sua mãe num restaurante sem os cuidados com Leia mais

Emoção com esse boletim do Livre Alimentar

Bianca Kirschner No final do ano passado, Leda e eu fizemos uma mentoria com outras engajadoras sociais, todas dentro da Leia mais

Os tipos de escolas para alérgicos alimentares neste retorno às aulas.

Bianca Kirschner Estamos retornando às aulas presenciais e temos lido e recebido relatos de pais de alérgicos alimentares. Eles estão Leia mais

O essencial para ser feliz

Bianca Kirschner Vivemos uma vida normal e isso é importante dizer após 9 anos de convivência com as alergias alimentares Leia mais